MATEMÁTICA E FÍSICA - A EDUCAÇÃO COMO ESTILO DE VIDA

A EDUCAÇÃO COMO ESTILO DE VIDA

Vossos peitos, vossos braços.
São muralhas do Brasil.

MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO

Este site é um espaço no qual o professor Afonso Meneses convida você a participar da Mobilização Social pela Educação que é um programa do MEC assim apresentado: Uma sociedade se torna uma nação quando é capaz de responder aos desafios postos pela história. No caso da educação, uma das grandes tarefas da democracia é fazer desse serviço um bem público, entendendo-se que, somente quando for oferecida com a mesma qualidade em qualquer escola do País será possível dizer que nessa sociedade existe educação pública. Quando a sociedade incorporar a educação como valor social e se mobilizar para que todos e cada um dos brasileiros tenham educação de qualidade será possível responder a esses desafios. Essa é a razão para o chamado feito pelo Ministério da Educação aos diversos segmentos sociais para que participem do esforço pela implementação do PDE em prol da melhoria da educação brasileira.

Eu convido o leitor a visitar o site do MEC, onde se encontra, especificamente, este programa, clicando no link apresentado imediatamente após o título desta página. Na página do MEC, que convida a sociedade para a Mobilização Social pela Educação, você encontrará todos os conteúdos necessários para que possa se engajar politicamente na causa da educação. Em nosso contexto, se engajar politcamente não significa pedir favores a políticos; significa, antes, fazer pressão. Mas para que esta pressão surta efeito precisamos fazer a nossa parte, falando a todas as pessoas, em todos os contextos, sobre a importância da educação pública de qualidade, para tirar o Brasil da situação de atraso em que se encontra. Ainda de acordo com o MEC, o foco da mobilização são as famílias: pais, mães e responsáveis por alunos das escolas públicas da educação básica; conselhos escolares e escolas através dos seus diretores, professores, coordenadores, demais profissionais.

O meu convite para que você participe da mobiliação pela educação é um convite pessoal e insistente. Neste ano de 2018 eu estou trazendo de volta o Projeto Esperança. Ele surgiu em uma sala cedida pela Igreja Presbiteriana do Brasil, na cidade de Planaltina de Goiás, no ano de 2001, e funcionou lá por quase sete anos. Ele era um curso preparatório para o vestibular, destinado a jovens carentes, daquela cidade goiana do entrono de Brasília. Os jovens alcançados pelo projeto não tinham condições financeiras sequer para pagar as passagens de ônibus para Brasília, onde poderiam estudar se tivessem condições para pagar as mensalidades de um curso pré-vestibular. Durante o período de funcionamento o curso ajudou centenas de jovens a encontrarem um rumo para suas vidas. Ele só encerrou suas atividades quando os cursos superiores à distância foram se instalando na cidade e permitindo que os jovens fizessem um curso superior sem os rigores da concorrência de um vestibular e a preço acessível.  

Agora eu trago de volta o Projeto Esperança com o objetivo de ensinar Matemática e Física, e incentivar as pessoas a confiarem na educação, estudarem e a participarem da educação para que possam prosseguir com seus estudos se educando para o trabalho e para o exercício da cidadania, como preceitua a Lei de diretrizes e Bases  da Educação. Na nossa defesa da educação, daremos especial ênfase à educação como estilo de vida, que é a única forma segura de alguém ensinar, aprender e aprender a aprender, cada dia mais, nas mídias sociais. Vamos questionar a filosofia da educação que tem sido aplicada no Brasil nas últimas décadas; uma filosofia da educação que diz ao oprimido que ele é oprimido e por isto não tem o dever de buscar nos conteúdos as armas necessárias para que ele possa vencer o opressor. 

O pressuposto maior por trás deste projeto é incentivar as pessoas participarem da educação por esforço próprio, fazendo da educação um estilo de vida; tal estilo de vida se resume à disposição da cada brasiliero a investir tempo na própria educação, na educação dos próprios filhos e na educação dos filhos dos outros. Infelizmente, muitas pessoas não têm acesso à Tecnologia da Informação TI, não só porque não dispõem de recursos financeiros para tal, como também não sabem como acessar materiais que atendam a suas necessidades educacionais. Mas, disponibilizaremos os conteúdos de Matemática e Física do mesmo modo que foram disponibilizados em sala de aula do Projeto Esperança.

Enfim, na esteira da Mobilização Social pela Educação, Projeto Esperança procura incentivar toda a sociedade brasileira a participar da educação do nosso povo, um povo que é considerado sábio por natureza, por políticos que se elegem com votos de analfabetos. O Projeto Esperança também é um espaço para reflexão sobre questões como o futuro de um país  que já foi um país de jovens. Um país cujos jovens casais das classes média e alta têm um ou nenhum filho; esta atitude das classes sociais mais abastadas poderá acentuar aimda mais a concentração de renda e a desigualdade social, além de causar desequilíbrio no mercado de trabalho. Para que estes jovens casais possam continuar consumindo o sorvete e o videogame que seriam destinados às crianças que eles não querem, o Estado precisa se voltar para as classes menos favorecidas e acolher suas crianças com o pressuposto de que se nasceu gente é inteligente e necessário para o progresso do país.


educação cidadã se faz com escolas exigentes e voltadas para conteúdos
   
     
     
  voltar para o início da página   

© 2012 Afonso Meneses